Este ano o 8º Festival Internacional de Cinema em Balneário Camboriú tem o prazer de apresentar, em parceria com os curadores Luiz Brugnera e Massimo Scaringella, uma parte das obras de videoarte que compõe a mostra Enigma da Visão.

A exibição das obras acontecerá no Auditório Livre, localizado na Cineramabc Arthouse (Rua São Paulo 581-1, Bairro dos Estados, Balneário Camboriú), entre os dias 29/11 a 12/12 sempre a partir das 19:00. A entrada é gratuita e sujeita a lotação do auditório.

Entre os artistas e obras que serão apresentados estão:

Carta de Água III, de Patricia Claro (11:15 min)
Caixa de Fósforo, de Tim Parchikov (1:53 min)
Exit, de Zaneta Vangeli (4:32 min)
G8ogle, de Zlatoin Dochev e Anto. Millotta (2:24 min)
No Caminho Retto, de Filippo Berta (1:47 min)
O Jardim Guilhoche, de Fabrizio Passarela (6:50 min)
Play Without Rules, de Andriy Sydorenko (6:45 min)
Visões Alterados, Francesco Caldeloro (11:44 min)

As outras obras da mostra Enigma da Visão continuam em exposição temporária na Galeria Municipal de Balneário Camboriú.

Curador: Massimo Scaringella
O artista contemporâneo vai cada vez mais além da aparência, além do objeto de sua narrativa, criando um contraste entre as reflexões de quem concebeu e as emoções daqueles que estão assistindo. O que mudou em quem a pensou e o que vai mudar em quem vai observar, porque o espectador “além da visão” descobre uma ação constante na ação e no pensamento. Olha para além do objeto e da cor, em memória de seus pensamentos, que se suavizam do supérfluo em direção a uma realização. Isso corresponde à produção de linguagens artísticas novas e plurais, da fotografia à videoarte, da Land art a street art, da body art a performance, para enumerar as novas, mas sem esquecer da pintura, que continua a auto candidatar-se ao primado do fazer arte.

Linguagens que, se por um lado impediram de circunscrever o significado da arte para uma experiência exclusiva, por outro lado, têm implantado inúmeras possibilidades antitéticas de interrogar o sentido profundo da realidade, sem nunca revelar seu enigma. Esta pluralidade, das possíveis e realizáveis formas de arte, torna necessária a busca de expressividade, não como um critério de interpretação unívoco, mas como confronto com a verdade na forma de um enigma. Por isso é significativo repensar a linguagem contemporânea em sua extensão sociológica, para ser compreendida nas soluções de uma nova comunicação. O enigma da visão è uma lógica da linguagem que distingue a arte na individualização do artista, da obra, do ambiente, onde fazer arte se torna poesia.

Curador: Brugnera / Texto: Nani Rabelo
A arte é referência instintiva para questionamentos infindáveis e íntimos do ser. Através do fazer arte surgem plasticidade, estarrecimento e, sobretudo, admiração.
A imersão do artista é arte viva, completa em si, que suscita reações ao mundo a qual pertence. Mundo em que opostos caminham paralelos e harmonizam-se com iguais onde tudo é possível. Trata-se do terreno sagrado da criação, do universo onírico, difuso e emblemático das camadas humanas.
Como pontua a curadoria “os enigmas das visões são apresentados aos olhares diversos com múltiplas absorções. Após a compreensão do que se vê, surgem, instantaneamente, agradáveis dúvidas e releituras. O papel da oportuna exposição é o de dar voz e asas aos leitores… Exercício místico e dual, origem pura da criação que traz, em seu cerne, a antítese e a antípoda para deixar velado ou explícito o registro do enigmático”.
As verdades artísticas aqui reunidas, por um olhar preciso, convidam o observador a flertar com mistérios e possibilidades intrigantes próprias de expressões criativas em seu estado puro, elementar.
Experienciar tal enigma prescinde de qualquer solução.

Artistas participantes

BRASIL – A. C. MACHADO
ARGENTINA – ALFI VIVERN
UCRÂNIA – ANDRIY SYDORENKO
BRASIL – ANGELA LIMA
ITÁLIA – ANTONIO RIELLO
BRASIL – BRUGNERA
BRASIL – CLAITON BIAGGI
BRASIL – COLETIVO DUAS MARIAS
BRASIL – COLETIVO KIMIECK
ITÁLIA – FABRIZIO PASSARELLA
BRASIL – FAISAL ISKANDAR
ITÁLIA – FILIPPO BERTA
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA – FRANCESCO CANDELORO & ARTHUR DUFF
BRASIL – FRANZOI
CHILE – GERMAN TAGLE
FINLÂDIA – HANNU PALOSUO
BRASIL – JAIRO VALDATI
COSTA DO MARFIM – JOACHIM K. SILUÉ
ARGENTINA – JORGE MIÑO
BRASIL – JULIANA STEIN
ITÁLIA – MARCO BOLOGNESI
CHINA – MARIA CHEUNG
BRASIL – NANI RABELO
CHILE – PATRICIA CLARO
BRASIL – ROSÂNGELA DE ANDRADE BOSS
BRASIL – SÉRGIO ADRIANO H.
BRASIL – SILVANA CAMILOTTI
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA – STEVENS VAUGHN
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA – TAIJI PARCHIKOV
FINLÂNDIA / FINLÂNDIA – TUOMO ROSENLUND & JOHANNA POHJANVIRTA
BRASIL – VILMA SLOMP
BRASIL – VON JOSEPH
MACEDÔNIA – ZANETA VANGELI
BULGÁRIA / ITÁLIA – ZLATOLIN DONCHEV & ANTO.MILLOTTA

Comments are closed.