Homenageados 2014

HOMENAGEADOS 2014

Todos os anos são homenageadas diferentes personalidades do mundo do cinema e das artes audiovisuais. Durante a edição 2014 serão homenageados:

Hans Op De Beeck

p1070237.jpg

Vive e trabalha em Bruxelas, é de lá que saem as obras que participam do circuito internacional de arte ao longo dos seus mais de dez anos de carreira. Sua produção é composta por esculturas, instalações, obras de vídeo, fotografia, animação, desenhos, pinturas e escrita (contos). Seu trabalho, é a busca em materializar uma ideia que acaba por definir a técnica usada para finalizar cada uma das peças. Assim, a escala de suas obras pode variar desde o tamanho de uma pequena aquarela até uma grande instalação tridimensional de 300m2.
Sua temática aborda as relações entre o tempo, o espaço e também entre nós mesmos. Op de Beeck tem na suas narrativas um espectador inexistente porém as situações, lugares, momentos e personagens construídos parecem familiar a todos. Seus principais assuntos são o desaparecimento das distâncias, o esvaziamento do sujeito e a abstração do tempo, resultados do processo de globalização – mudanças em nosso dia-a-dia trazidos pela evolução nos meios de comunicação, automação e tecnologia.
Ás vezes, Hans Op de Beeck chama suas obras de “propostas” já que seu trabalho é alimentado por um grande interesse na reflexão social e cultural. O artista também questiona a difícil relação entre realidade e representação, entre o que vemos e o que queremos acreditar, entre o que é e o que criamos para nós mesmos, a fim de facilitar a convivência com a sensação contemporânea de insignificância e falta de identidade.

Sessão Homenagem Hans Op De Beeck

Jean-Claude Bernardet

00041_gg.jpgÉ um dos principais estudiosos do cinema brasileiro. Autor de diversos artigos e livros, diretor de cinema, participou em alguns filmes como ator. Nascido na Bélgica, de família francesa, Jean-Claude passou a infância em Paris, e veio para o Brasil com sua família aos 13 anos, naturalizando-se brasileiro em 1964. É diplomado pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (Paris) e doutor em Artes pela ECA (Escola de Comunicações e Artes) da USP.
Interessou-se por cinema a partir do cineclubismo, e começou a escrever críticas no jornal O Estado de São Paulo a convite de Paulo Emílio Salles Gomes. Tornou-se grande interlocutor do grupo de cineastas do Cinema novo, e especialmente de Glauber Rocha, que rompeu com ele a partir da publicação de Brasil em Tempo de Cinema (1967). Foi um dos criadores do curso de cinema da UnB, em Brasília, e deu aulas de História do Cinema Brasileiro na ECA, até se aposentar em 2004.
Além de sua importância como teórico é também ficcionista, com quatro volumes publicados. Participou de vários filmes, como roteirista e assistente de direção, eventualmente como ator em pequenos papéis. Nos anos 1990 dirigiu dois ensaios poéticos de média-metragem: São Paulo, Sinfonia e Cacofonia (1994) e Sobre Anos 60 (1999). Jean-Claude Bernardet ganhou o prêmio de melhor ator no Festival de Cinema de Brasília pelo Filme Fobia.

 

Ivo Müller

130304_ivo_domingas_mg_8491red.jpgNascido em Santa Catarina, foi o único ator brasileiro a concorrer ao Urso de Ouro no Festival de Berlim 2012, com o filme “Tabu”, do cineasta português Miguel Gomes. O longa-metragem ganhou o prêmio de melhor filme para a crítica, o FIPRESCI, mais de 15 prêmios internacionais, e fechou o ano como um dos melhores do mundo na lista de revistas como Cahiers du Cinéma e Sight & Sound.
Müller se destacou no cinema catarinense no longa “Outra Memória” de Chico Faganello, exibido na Mostra de Cinema de SP 2005. Desde então vive entre os estados de SP e SC. Nos curtas-metragens, protagonizou “Dicionário”, de Ricardo Weschenfelder, seleção oficial no Festival de Gramado 2012, e “O Tempo Que Leva”, de Cíntia Domit Bittar, Hors Concours no Festival do Rio 2013 e um dos 3 curtas brasileiros no 54º Festival Internacional de Cine de Cartagena de Indias.
Na TV, participa dos seriados “O Negócio” (HBO) e “A Grande Viagem” (TV Cultura), que estreiam em 2014, e de “A Menina Sem Qualidades”, de Felipe Hirsch, indicada ao prêmio APCA 2013 de melhor seriado.
Está nos filmes “Lascados”, de Vitor Mafra e “Califórnia”, de Marina Person, em pós- produção. É formado em Direito na Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Artes Cênicas no Centro de Pesquisa Teatral CPT/SESC, do diretor Antunes Filho. Trabalhou com o Grupo Tapa, com destaque para a peça “Doze Homens e uma Sentença”, prêmio APCA de melhor espetáculo 2010. Além do trabalho como ator, dedica-se à arte-educação: foi professor de teatro em escolas de ensino médio e atualmente ministra oficinas e seminários.

Sessão Homenagem Ivo Müller

Em edições anteriores foram homenageados o diretor Beto Brant, o diretor e produtor Renato Ciasca, a diretora Patrícia Moran, a triz Paula Braun, o diretor David Schürmann, o grupo Phila 7, o diretor Sérgio Machado, a produtora Sara Silveira, a atriz Bianca Byington, o artista visual e performer Lúcio Agra e o cinéfilo Herbert Holetz.

Categorias